Portugal Alentejo Alcácer do Sal

Alcácer do Sal

Vindo de Lisboa e do ocidente, Alcácer do Sal é a primeira cidade do Alentejo, a 52 quilómetros de SetúbalBeja e a costa alentejana ficam a menos de uma hora de distância – se tiver algum tempo para esticar as pernas – Alcácer é um óptimo lugar, particularmente ao longo do passeio marítimo.

É dos portos mais antigos de Portugal, fundada por fenícios e capital regional sob os mouros – daí o seu nome (al-Ksar, a cidade). A outra parte do seu nome, “de Sal”, reflecte a predominância da indústria do sal com o estuário do Sado cercado por pântanos salgados.

Dom Afonso Henriques conquistou-a aos mouros em 1158, com a ajuda dos Cavaleiros Templários. O Grão Mestre Frei Dom Pedro Arnaldo da Rocha morre na Batalha e acredita-se que foi um dos nove fundadores da Ordem dos Templários. Gualdim Pais torna-se seu sucessor.

Mas os mouros não iam perder uma capital regional sem dar luta e acabaram por reconquistá-la. Foi definitivamente conquistada em nome de Portugal pelo neto de Dom Afonso Henriques  – Dom Afonso II, tornando-se a sede da Ordem Militar de Santiago em Portugal (com símbolo de espada em forma de cruz).

Ordem Militar de Santiago

Um dos seus notórios Mestres foi Paio Peres Correia, de Barcelos, que conquista Aljustrel, Mértola e Ayamonte (hoje em dia Espanha) – mais tarde conduziu com sucesso uma campanha militar contra os Mouros no Algarve (nomeadamente conquista vários territórios como Tavira).

Representação de Paio Peres Correia na Plaza Maior -Salamanca (Espanha)

É eleito Mestre de Ordem Santiago em Mérida (Espanha), e passa a lutar para a coroa de Fernando III de Castela participando na conquista de Sevilha. A sua bravura é destacada na Crónica Geral de Espanha em 1344 (como Pelayo Pérez Correa). Ainda volta a Portugal para dar uma ajuda na conquista final de Faro e Silves ( a capital regional muçulmana)…

Mais tarde, no século XVI, outro notável da Ordem Militar de Santiago é Afonso de Albuquerque, grande estratega e militar, por terra e mar, o segundo europeu a construir uma cidade na Ásia (primeiro foi Alexandre o Grande).

Sempre com poucos milhares de portugueses  desenvolveu o império português no oceano índico, desde a Malásia até ao Irão e à Índia; sob o enorme poderio militar otomano, árabes e aliados nativos, assim como dos países europeus que “testavam as águas” da sua força regional.

Afonso de Albuquerque

Antes de morrer em Goa, escreveu ao Rei Dom Manuel I que cuidasse com honras o seu filho (o que sucedeu) e pediu para lhe vestirem o manto da sua Ordem Militar. Afonso de Albuquerque só foi vencido pela natureza, nunca pelos homens.

O facto que surpreende a maioria das pessoas sobre a Ordem é que já no século XVI tinha como membro um cavaleiro africano  – João de Sá .

No Museu Nacional de Arte Antiga de Lisboa pode-se conhecer o“Chafariz Del Rei” datado do século XVI, de artista estrangeiro onde se pensa estar retratado o José de Sá (de cavalo no canto inferior direito). A forte presença da cultura africana, de escravos e libertos na cosmopolita Lisboa chocava os restantes europeus.

Chafariz Del Rei

Escravo libertado que nasceu no Congo faz a sua adolescência com os príncipe portugueses – com semelhantes idades. Acompanhou o príncipe Dom Luís no Galeão Botafogo na campanha vitoriosa contra Túnis do império Otomano – onde se destacou pela sua bravura.

Casou-se com uma moura branca e o Rei D. João III declara-o “homem preto cavaleiro da minha casa” mas apesar da protecção do Rei e da Ordem de Santiago, sempre sofreu abusos racistas que sabia desarmar com o seu sentido de humor.

Pousada Dom Afonso II

Acima da cidade, ergue-se o Castelo, de origem islâmica. Tem uma vista espantosa sobre os arrozais verdejantes que circundam a cidade, e de ninhos de cegonhas nos telhados da igreja. É agora a fabulosa Pousada Dom Afonso II (www.pousadas.pt), com quartos bem decorados, piscina e restaurante.

  • Coordenadas: 38.372194,-8.513917

Cripta Arqueológica de Alcácer do Sal

Perto, na cripta arqueológica do Castelo pode ver vestígios de várias civilizações que em períodos distintos povoaram a localidade; passando pela Idade do Ferro, pela ocupação islâmica, assim como do Período Romano.

Igreja de Santa Maria do Castelo

No interior das muralhas do Castelo, a igreja foi erguida pela Ordem de Santiago, aquando da reconquista da cidade por Dom Afonso II, século XII, sob um templo pagão e mesquita. No seu interior, o púlpito é suportado por um anjo.

  • Coordenadas: 38.372455, -8.512907

Santuário do Senhor dos Mártires

Na periferia da cidade, a cerca de 10 minutos a pé do Castelo (actual Pousada Dom Afonso II), pela Rua Bom Jesus dos Mártires, encontra um dos mais antigos templos cristão em Portugal.

Construído pela Ordem Militar de Santiago, no século XIII na altura da reconquista, e depois ampliado e engrandecido do século XIV ao século XVI. Alguns membros da Ordem estão sepultados na capela. Ao subir a torre tem uma bela vista do rio Sado e arrozais.

  • Coordenadas: 38.372858, -8.520247

Cais Palafítico do Porto da Carrasqueira

Na reserva do Estuário do Sado, a cerca de meia hora de carro da cidade pela N253, chega ao Cais erguido nas décadas de 50 e 60 no século XX na Carrasqueira, Freguesia da Comporta, onde cada pedaço de madeira, mesmo que aparente irregular, foi colocado sabiamente para que os pescadores acedessem aos seus barcos.

  • Coordenadas: 38.412621, -8.757131

Praia da Comporta

A cerca de 15 minutos de carro do Cais Palafítico, pela N253 em direcção à costa alentejana, encontra a popular Praia da Comporta (já no concelho de Grândola), um belo areal, com todas as infraestruturas de apoio balnear, e com um bar e restaurantes. Do Alcácer do Sal à Praia da Comporta são cerca de meia hora de carro pela N253.

  • Coordenadas: 38.380708, -8.803472

Barragem de Vale do Gaio

No entanto, para um ambiente mais silencioso do país, pode sempre dirigir 30 km (de Alcácer do Sal) para leste ao longo da N5 para Torrão, passando pela Barragem de Vale do Gaio (também conhecida por Trigo de Morais), que se situa no rio Xarrama (que nasce a noroeste de Évora).

Barragem de Vale do Gaio
Barragem de Vale do Gaio
  • Coordenadas: 38.247633, -8.294850

A Pousada de Vale do Gaio (www.pousadas.pt) – Situada na borda do reservatório – é uma conversão do alojamento usado pelos engenheiros de barragens.

  • Coordenadas: 38.250194,-8.294667

O que visitar perto:

A costa alentejana

A costa alentejana se estende por mais de 150 quilómetros, da baía de Setúbal até ao Algarve ocidental. A maioria das praias são pouco desenvolvidas...

Península de Setúbal

Cacilhas (Almada) A abordagem mais agradável para a península de Setúbal é tomar o ferry de Cais do Sodré (Lisboa) até Cacilhas (Almada). O passeio concede...

Évora

Évora é uma das cidades mais impressionantes e agradáveis em Portugal, recheada de monumentos memoráveis sob protecção da UNESCO. Com um templo romano, ruas mouriscas, um circuito de muralhas medievais e um grandioso conjunto de mansões do século XVI.