Área Metropolitana de Lisboa Lisboa O Castelo de São Jorge e arredores

O Castelo de São Jorge e arredores

Sé de Lisboa

  • Coordenadas:38.709879,-9.132584

Imponente sob uma encosta com vista para a Baixa Sé de Lisboa, do século XII comemora a conquista da cidade de Lisboa aos Mouros. Tem uma aparência adequadamente de fortaleza, semelhante à de Coimbra, e ocupa o local da antiga mesquita da cidade moura Lishbuna.

As torres gémeas formam uma fachada simples e eficaz. O edifício foi outrora embelezado sob as ordens de Dom João V (século XVII), mas os caprichos Rococó foram removidos pelo terramoto e por subsequentes restaurações.

Precisa de comprar um bilhete para aceder ao seu museu de tesouros, com o corpo de São Vicente, trazido para Lisboa em 1173 por D. Afonso Henriques. Segundo a lenda, a viagem foi acompanhada por dois corvos, que o ajudaram a descortinar a localização do corpo de S. Vicente no Algarve.

Tesouro da Sé

Os corvos são um dos símbolos da cidade. Também Pode aceder ao claustro do século XIII.

Igreja de Santo António

De frente para a Sé, encontra a igreja de Santo António construída no local donde nasceu o padroeiro da cidade. Sua vida é narrada no museu vizinho.

Santo António conhece pessoalmente São Francisco de Assis em Itália, e tornou-se um membro incomparável na sua Ordem, nomeado pregador e professor da Teologia dos Franciscanos. Passado dez meses apenas da sua morte, foi canonizado. Em Itália, a Basílica de Pádua e toda a cidade lhe está consagrada.

  • Coordenadas: 38.709985,-9.1340557

Para o Castelo

O Eléctrico E28 da Rua da Conceição na Baixa, passa perto da Sé e Santa Luzia, ao Largo das Portas do Sol. Vindo do Rossio, autocarro 37 da Praça da Figueira segue uma rota similar, cortando em Santa Luzia e sobe até uma das entradas do Castelo de São Jorge.

Teatro Romano

Caminhando a partir da Sé, sobe a Rua Augusto Rosa em direcção ao castelo e encontra em cinco minutos as ruínas do Teatro Romano (57 depois de Cristo). Os achados são visitados no pequeno Museu adjacente do Teatro Romano com explicações multimédia sobre o teatro.

Ruínas do Teatro Romano
  • Coordenadas: 38.71046,-9.132354

Miradouro da Santa Luzia

Um pouco mais acima na colina chega à Igreja da Santa Luzia com o adjacente Miradouro da Santa Luzia, donde há belas vistas para o rio.

Miradouro de Santa Luzia
  •  Coordenadas: 38.711846,-9.130363

Dá para recuperar o fôlego enquanto aprecia a vista, para o empurrão final até o castelo, na colina para nordeste – é fácil manter-se no caminho certo seguindo a sinalização.

Museu Escola de Artes Decorativas

No Largo das Portas do Sol 2 está a Fundação Espírito Santo Silva, casa do Museu Escola de Artes Decorativas (www.fress.pt). Foi a coleção particular do banqueiro Ricardo do Espírito Santo Silva, que ofereceu-a à nação em 1953.

  • Coordenadas: 38.712054,-9.130526

Os destaques incluem uma tapeçaria impressionante do século XVI que descreve um desfile de girafas, tapetes de Arraiolos no Alentejo e colchas orientais do século XVII – com um pátio café.

Largo das Portas do Sol

A partir do terraço-café no Largo das Portas do Sol, as vistas são enormes – avistando a fachada de torres gémeas do Convento da Graça, a cúpula de Santa Engrácia e além o rio Tejo.

Miradouro Portas do Sol
  • Coordenadas: 38.711927, -9.129996

Castelo de São Jorge

  • Coordenadas: 38.713909,-9.133476

O seu nome advém do padroeiro das cruzadas e cavaleiros e é dos melhores esplêndidos monumentos de Lisboa; lugar agradável para passear por meio das muralhas e sobre a cidade.

Após um cerco de três meses Dom Afonso Henriques conquistou o castelo no século XI -para além da tradicional ajuda dos Cavaleiros Templários, teve o apoio adicional de Cruzados que se deslocavam para a Terra Santa.

No inicio da monarquia, os Reis portugueses residiam dentro do castelo – na Alcáçova, o palácio muçulmano – mas com o tempo foi substituído pelo novo palácio real no Terreiro do Paço na Praça do Comércio. Da Alcáçova permanece apenas uma secção restaurada.

Esta secção abriga Olisipónia, uma exposição multimédia que detalha a história da cidade -Em 35 minutos narram aspectos do desenvolvimento de Lisboa através de som e imagem.

Reza a lenda que durante o cerco à Lisboa Moura, um cavaleiro chamado Martim Moniz apercebeu-se duma porta entreaberta e deu o corpo e vida para evitar o fechar da porta – e assim seus colegas puderam entrar no castelo.

Actualmente pode visitar a porta no Castelo conhecida como a do Martim Moniz e é homenageado pela grande praça com seu nome, no sopé do castelo.

Praça Martim Moniz

Logo abaixo do castelo para norte e oeste estende-se o bairro da Mouraria, para onde foram relegados os mouros quando perderam a cidade.

Miradouro Sophia de Mello Breyner

A Norte do castelo, a Calçada da Graça leva-o até ao bairro da Graça e respectivo Miradouro Sophia de Mello Breyner, conhecido como Miradouro da Graça – que oferece vistas deslumbrantes sobre a cidade.

  • Coordenadas: 38.716249, -9.131565

Para Sul em direcção ao rio Tejo

Igreja da Conceição Velha

Descendo para baixo da Sé, em direcção ao rio, vai encontrar a igreja da Conceição Velha na Rua da Alfândega, danificada pelo terramoto, mas ainda na posse do seu magnífico portal  de estilo Manuelino.

  • Coordenadas: 38.708914,-9.134249

É um dos primeiros exemplos deste estilo, que será mais tarde glorificado em Belém.

Casa dos Bicos

Cinco minutos a pé para leste, na Rua dos Bacalhoeiros, ergue-se a curiosa Casa dos Bicos com pedras em forma de diamante.

Casa dos Bicos
  • Coordenadas: 38.70903,-9.13268

O edifício foi construído em 1523 pelo filho do vice-rei da Índia, apenas a original fachada  sobreviveu ao terramoto. É usado para exposições culturais; e pode observar os restos de tanques romanos para a preserva de peixes e outras peças antigas das muralhas mouras (demolida no século XV).

À beira do rio, do outro lado da movimentada Avenida Infante Dom Henrique está o Jardim do Tabaco, armazéns convertidos em restaurantes e esplanadas de belas vistas.

Bem perto do Jardim do Tabaco fica a Estação Ferroviária de Lisboa-Santa Apolónia, edifício de estilo Neo-Clássico de meados do século XIX – um dos principais terminais ferroviários em Lisboa.

  • Coordenadas: 38.713513, -9.123284

Museu Militar de Lisboa

Próximo da Estação de Santa Apolónia encontra o maior Museu Militar em Portugal, e o mais antigo – com especial destaque para a artilharia, nomeadamente na Sala de Vasco da Gama com uma colecção de antigos canhões. Mas o museu abrange várias épocas desde a reconquista cristão até à I Guerra Mundial.

  • Coordenadas: 38.712401,-9.12487

Alfama

Arcos de Jesus – Alfama
  • Coordenadas: 38.709232, -9.130897

A parte mais antiga de Lisboa, reforçada por massa íngreme e rochosa, sobreviveu contra danos significativos no terramoto de 1755. Embora nenhuma das suas casas data antes da conquista cristã, muitas apresentam influência mourisca.

Em tempos árabes, Alfama era a área mais grandiosa da cidade, e continuou a sê-la depois da reconquista cristã, mas com o tempo a nobreza saiu e foi ocupada pela comunidade pesqueira.

O bairro mantém-se, em grande parte, tradicional:e é o lugar para se estar durante as festas juninas “Festas dos Santos Populares” (sobretudo no dia 12 de junho), barracas aparecem em cada esquina e há música até ao amanhecer.

Festas dos Santos Populares em Alfama
Festas dos Santos Populares em Alfama

Ruas de São Miguel e São Pedro

Aqui a vida continua como era há décadas anteriores: crianças jogando na rua e para baixo nas escadarias íngremes. Nas suas andanças pelo bairro, chegará à Rua de São Miguel e a paralela Rua de São Pedro, que o leva ao animado Largo do Chafariz de Dentro.

Largo do Chafariz de Dentro
  • Coordenadas: 38.711259, -9.127929

Casa do Fado e da Guitarra Portuguesa

Aqui encontrará a Casa do Fado e da Guitarra Portuguesa – um museu envolvente delineando a história do fado e da guitarra Portuguesa por imagens e sons das principais personagens e estilos do fado.

  • Coordenadas: 38.711126,-9.127608

Vale a pena ver antes de visitar uma casa de fado, com uma boa loja e um pequeno café.

Igreja São Vicente de Fora

  • Coordenadas: 38.714888,-9.12765

Localizado donde Dom Afonso Henriques acampara durante seu cerco a Lisboa,foi construída durante o domínio espanhol de Filipe II pelo arquitecto italiano Felipe Terzi.

Através dos claustros, decorados com mosaicos, pode visitar o antigo refeitório monástico, que desde 1855 forma o panteão da Casa de Bragança. Aqui descansam os corpos dos Reis, João IV, que restaurou a monarquia e de Manuel II que a perdeu – morreu na Inglaterra em 1932.

Entre eles está a Catarina de Bragança, a viúva de Charles II, creditada com a introdução do “Chá das Cinco” tão popular entre os britânicos. Pode desfrutar de chá ou doutras bebidas no café com terraço e vistas soberbas sobre a Alfama e e rio Tejo.

Feira da Ladra e Santa Engrácia

Feira da Ladra
  • Coordenadas:38.715592,-9.125462

A Feira da Ladra, mercado desconexo de Lisboa, enche o Campo de Santa Clara na margem oriental de Alfama – terças-feiras e sábados (9 da manhã – 3 da tarde).

Certamente não é o maior mercado do mundo mas pode apresentar artigos interessantes: excentricidades das ex-colónias africanas e gravuras antigas. Outras coisas são menos interessantes.

Para chegar aqui pelo eléctrico E28 que vai da Rua da Conceição na Baixa e autocarro 712 corre entre a estação de Santa Apolónia e Praça Marquês de Pombal.

Enquanto no mercado, dê uma olhadela à Igreja Santa Engrácia  – a mais alta e tortuosamente construída na cidade. Iniciada em 1682, outrora sinónimo de obra inacabada, sua bela cúpula foi finalmente concluída em 1966.

  • Coordenadas: 38.714994,-9.124683

Desde 1916, a igreja é o Panteão Nacional e abriga os túmulos de eminentes figuras portuguesas, inclusive ex-presidentes, o escritor Almeida Garrett e Amália Rodrigues, a mais famosa cantora de fado.

Museu Nacional do Azulejo

  • Coordenadas: 38.724742,-9.114143

Cerca de 1,5 km a leste da estação de Santa Apolónia na Rua da Madre de Deus encontra o Museu Nacional do Azulejo, um dos mais atraente e pequenos museus de Lisboa.

Instalado na igreja da Madre de Deus, século XVI, traça a história do azulejo dos dias dos mouros até ao presente. A igreja em si tem um interior barroco, construído após o terramoto de 1755.

Não perca a oportunidade duma bebida no café jardim no museu. Pode vir aqui directamente de autocarros: da Praça do Comércio ou da Praça da Figueira.

O que visitar perto: