Alentejo Alentejo Central Évora

Évora

 

Évora é das cidades mais impressionantes e agradáveis em Portugal, recheada de monumentos memoráveis, moldada por ocupações romanas, árabes e cristãs: a primeira civilização comemorada com um templo.

A maioria dos monumentos datam a partir do século XIV a XVI, quando Évora prosperou sob a Casa de Avis. A esta Casa são devidos muitos belos edifícios nobres na cidade, como é o caso da universidade jesuíta e o estilo Manuelino.

O facto desses monumentos terem sobrevivido é, em grande parte, devido ao declínio da cidade após a usurpação do trono por parte da Espanha – em 1580. Desde então, monarcas preferiram viver perto de Lisboa, e a universidade foi fechada.

Nos próximos 400 anos, Évora teria uma existência de centro provincial e de mercado regional.

Praça do Giraldo

A praça central é a Praça do Giraldo,  com o núcleo histórico para leste. Independentemente para onde se desloca vai, nada dista mais que dez minutos, a pé, da Praça do Giraldo. A estação de autocarros fica a cinco minutos a pé das muralhas ocidentais da cidade; uma caminhada de dez minutos até à Praça.

  • Coordenadas: 38.570796,-7.909537

O nome da praça é uma homenagem ao Geraldo Geraldes, conhecido como Geraldo Sem Pavor, nobre que se ofereceu como voluntário para tomar Évora, com sucesso, dos Mouros –  encontra-se no brasão de armas da cidade.

No século XII para defender a cidade de Évora dos Mouros foi fundada a Ordem Militar de São Bento de Avis . No século XVI, o seu Mestre viria a ter um papel fundamental na manutenção da independência de Portugal sendo coroado Rei Dom João I após a batalha de Aljubarrota.

Cavaleiro da Ordem de Aviz no século XIV por Alberto Cutileiro

As muralhas da cidade ainda cercam várias distintas áreas da cidade, com várias atracções turísticas nas ruas entre a praça principal e os jardins públicos, ou pode seguir o curso do Aqueduto medieval Água Prata.

Aqueduto Água Prata
  • Coordenadas: 38.575992,-7.9130111

 

Templo Romano e Termas Romanas

  • Coordenadas: 38.57259,-7.907294

O gracioso Templo Romano está no coração da parte velha da cidade. Datado do século II, é o templo romano mais bem preservado em Portugal, apesar da sua reutilização temporária por parte da Inquisição e mais tarde como matadouro até 1870…

Hoje em dia é uma pequena plataforma de 14 colunas de granito com capitéis coríntios e um entablamento em mármore. A atribuição à Diana é fantasiosa;  Júpiter é a alternativa mais provável.

O pequeno jardim de frente do templo tem um quiosque-bar, e do terraço pode observar o que foi descoberto nas proximidades da câmara municipal – termas romanas . Estas incluem uma porta de tijolo arqueada, entrada para uma sala de banho.

Pousada Convento de Évora e Igreja São João Evangelista

  • Coordenadas: 38.572586, -7.907099

Mesmo em frente ao templo, fica o magnífico Convento do século XV, hoje em dia uma Pousada. Ao avançar para além das portas encontra arcos de ferradura duplos, colunas retorcidas delgadas na porta de entrada – bons exemplos do estilo Manuelino atribuído a Francisco de Arruda, arquitecto do aqueduto de Évora e da Torre de Belém em Lisboa.

Adjacente à pousada está a antiga igreja, dedicada a São João Evangelista, propriedade  dos Duques de Cadaval. Ao passar o portal gótico pode ver no interior os azulejos extraordinários do chão ao tecto –  obra-prima de António Oliveira Bernardes criada no início do século XVIII.

Retratam momentos da vida de São Lourenço fundador da ordem dos Lóios. Escondido entre os bancos, dois pequenos alçapões estão abertos para revelar uma cisterna moura (a igreja e convento foram construídos sobre um castelo) e um ossuário contendo os ossos de monges do convento.

A Sé

  • Coordenadas: 38.571779,-7.906986

A foi iniciada em 1186, cerca de vinte anos após a Reconquista de Évora aos mouros. A solidez românica das suas torres com ameias originais contrasta fortemente com os arcos góticos – adições posteriores – nomeadamente a varanda e a janela central.

O interior é de cariz mais gótico, mas o altar-mor foi  remodelado no sec. XVIII por Friedrich Ludwig – arquitecto do palácio-convento de Mafra.

O museu da Sé está recheado de tesouros e relíquias, como um relicário cravejado com 1426 pedras e uma estátua esculpida da Nossa Senhora. Também não deve perder o claustro gótico. Da catedral, existe um par de pontos turísticos que justificam um desvio.

Igreja da Misericórida

No vizinho Largo da Misericórdia, a Igreja da Misericórdia ostenta um estilo barroco e elegantes azulejos, e no final da rua, no Largo da Porta de Moura, há uma bonita fonte de mármore.

  • Coordenadas: 38.570523,-7.90661

Universidade de Évora

Uma rápida caminhada leva-o à Antiga Universidade. Fundada em 1559 pelo Cardeal D. Henrique, fechada pelo Marquês de Pombal no século XVIII, reabrindo em 1970 – um dos mais animados cantos da cidade. Pode ver os tecto de pau-brasil, os ajulezos e colunas de mármore.

universidade-evora
Universidade de Évora
  • Coordenadas: 38.573145,-7.90566

Igreja de São Francisco e Capela dos Ossos

Situado no lado oriental da Praça 1º de Maio, a Igreja de São Francisco contém talvez o monumento mais memorável em Évora – Capela dos Ossos. Um memorial intemporal à mortalidade do homem, onde as paredes e pilares foram construídas a partir de ossos de mais de 5000 monges.

  • Coordenadas: 38.568966,-7.908634

Durante os séculos XV e XVI, havia 42 cemitérios monásticos e o espaço era necessário. A solução foi mover todos os restos para um local compacto, consagrado. Há um humor sombrio no arranjo na inscrição “Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”.

A Praça 1º de Maio foi remodelada, conjuntamente com o Mercado Municipal, e hoje em dia apresenta vários cafés e restaurantes com esplanada para a praça.

Igreja Nossa Senhora da Graça

A um quarteirão de distância, ao virar da esquina pode ver o exterior da Igreja Nossa Senhora da Graça do século XVI. Em cada um dos cantos do frontão da igreja, grotescos Atlas apoiam o globo – parte do emblema de D. Manuel e do império ultramarino.

  • Coordenadas: 38.571431,-7.913502

Palácio de Dom Manuel

O Palácio de Dom Manuel e a sua galeria fica para sul – com arcos de ferradura inventivos e  bordas serrilhadas – agora fazem parte do Jardim Público, ao pé da Praça 1º de Maio.

Foi a partir daqui, que Vasco da Gama recebeu a comissão que mudou a direcção do Império Português, ao estabelecer o caminho marítimo de Belém para a Índia.

  • Coordenadas: 38.567705,-7.909175

Os Almendres

  • Coordenadas: 38.557526,-8.061114

Na Península Ibérica, o maior e mais impressionante círculo de pedra se encontra ao oeste de Évora, no sul da pequena aldeia de Guadalupe, a 13 km da cidade, cerca de meia hora de carro.

Para chegar lá de Évora, tome a N114 em direcção Montemor / Lisboa e siga os sinais de Guadalupe. Será direccionado ao longo duma estrada de terra (em grande parte plana), até ao Menir dos Almendres, a 2 km.

Uma pedra de 3 metros de altura que, apesar das suas óbvias origens no Neolítico, uma lenda local diz que é o túmulo duma princesa moura que aparece uma vez por ano, na véspera de São João.

A 2,5 km ao longo da estrada há uma área de estacionamento ao lado da extraordinária Cromeleque dos Almendres, onde há 92 pedras alinhadas em recintos concêntricos por setenta metros.

Colocadas aqui, cerca de seis a  sete mil anos atrás, pensa-se que foram erigidos como espécie de observatório astronómico e de rituais de fertilidade.

Anta Grande do Zambujeiro

  • Coordenadas: 38.539222,-8.014364

Zambujeiro é a maior anta do país, dos quais oito pedras de pé se inclinam para dentro, para formar uma câmara de oito metros de altura, com um diâmetro de seis metros.

O ponto crucial da própria câmara é vedada por razões de segurança, mas os doze metros de comprimento de corredor ainda estão em grande parte intactos.

O que visitar perto:

Viana do Alentejo

É um típica povoação do sul alentejano - que preserva um castelo, de influência mudéjar e manuelina. As paredes foram construídas sobre um plano pentagonal, por D. Dinis em 1313

Reguengos de Monsaraz

A pequena povoação de Reguengos de Monsaraz, a cerca de 40 quilómetros a partir de Évora ou Estremoz, é conhecida pelos excelentes vinhos locais, e poderá visitar as adegas fora da cidade

Vila Viçosa

É uma povoação bonita, dominada inteiramente pelo palácio - e pelos autocarros de turistas que descem sobre o palácio para uma visita rápida. É realmente um lugar agradável para passar a noite

Estremoz

Estremoz é certamente a melhor base para explorar esta região de mármore, por causa do número e qualidade de alojamentos e restaurantes. O palácio de Dom Dinis é agora uma pousada

Montemor-O-Novo

Vale a pena exporar a parte velha, encimada por um castelo onde Vasco da Gama finalizou os seus planos para o caminho marítimo para a Índia