Alentejo Alentejo Central Évora

Évora

Évora é das cidades mais impressionantes e agradáveis em Portugal, recheada de monumentos memoráveis, moldada por ocupações romanas, árabes e cristãs: a primeira civilização comemorada com um templo.

A maioria dos monumentos datam a partir do século XIV a XVI, quando Évora prosperou sob a Casa de Avis. A esta Casa são devidos muitos belos edifícios nobres na cidade, como é o caso da universidade jesuíta e o estilo Manuelino.

O facto desses monumentos terem sobrevivido é, em grande parte, devido ao declínio da cidade após a usurpação do trono por parte da Espanha – em 1580. Desde então, monarcas preferiram viver perto de Lisboa, e a universidade foi fechada.

Nos próximos 400 anos, Évora teria uma existência de centro provincial e de mercado regional.

A praça central é a Praça do Giraldo,  com o núcleo histórico para leste. Independentemente para onde se desloca vai, nada dista mais que dez minutos, a pé, da Praça do Giraldo. A estação de autocarros fica a cinco minutos a pé das muralhas ocidentais da cidade; uma caminhada de dez minutos até à Praça.

  • Coordenadas: 38.570796,-7.909537

O nome da praça é uma homenagem ao Geraldo Geraldes, conhecido como Geraldo Sem Pavor, nobre que se ofereceu como voluntário para tomar Évora, com sucesso, dos Mouros –  encontra-se no brasão de armas da cidade.

No século XII para defender a cidade de Évora dos Mouros foi fundada a Ordem Militar de São Bento de Avis . No século XVI, o seu Mestre viria a ter um papel fundamental na manutenção da independência de Portugal sendo coroado Rei Dom João I após a batalha de Aljubarrota.

Cavaleiro da Ordem de Aviz no século XIV por Alberto Cutileiro

As muralhas da cidade ainda cercam várias distintas áreas da cidade, com várias atracções turísticas nas ruas entre a praça principal e os jardins públicos, ou pode seguir o curso do Aqueduto medieval Água Prata.

Aqueduto Água Prata
  • Coordenadas: 38.575992,-7.9130111