Início Açores Grupo Central Ilha do Faial (Açores)

Ilha do Faial (Açores)

(Peter) Café Sport

  • Coordenadas: 38.529551,-28.626782

Há 40 anos o célebre Café Sport era um café-bar conhecido apenas por excelentes navegadores, como Jacques-Yves Cousteau. Um livro dos visitantes foi mantido com entradas divertidas.

Hoje em dia, na rua José Azevedo, há também uma loja e outros serviços, incluindo um museu dedicado a Scrimshaw –  gravação de pinturas nos dentes de cachalote, a única parte que os baleeiros podiam guardar para si.

Scrimshaw

O nome Peter surge durante a II Guerra Mundial, quando o filho do dono trabalha com ingleses, e um oficial notou as parecenças com o seu filho Peter. Com o tempo, o nome pegou.

Muitos aventureiros, nos seus livros e entrevistas, falam do carinho, quando mais necessitavam, deste pequeno café. Assim espalha-se o nome Peter’s Bar, símbolo de amizade e de respeito.

O gin tónico deste centenário café (1918) era já afamado antes do ressurgimento do gin como bebida.

Gin Tónico

No interior, verá notas escritas deixadas para outros marinheiros amigos que passarão pelo café – por vezes “notas” de bebidas já pagas.

Através dum marketing inteligente o pequeno café, familiar, é conhecido em todo o mundo, todavia o espírito de assistência nunca foi perdido.

  • Coordenadas: 38.528147, -28.626987

Perto do Café Sport, descortina a belíssima Igreja da Nossa Senhora das Angústias, Rua Vasco da Gama, local da ermida erguida pelo primeiro capitão do donatário da ilha, o flamengo Joss van Hürter.

Nesta igreja de estilo neoclássico (fachada do século XIX), está sepultado o primeiro capitão do donatário e a sua esposa portuguesa.

  • Coordenadas: 38.528480, -28.626576

Perto, no Largo Doutor Manuel de Arriaga, emerge o simpático Hotel do Canal, de quartos confortáveis e bom pequeno almoço.

Fica a pouco distância de todos os pontos de interesse na Horta – a 5 minutos da Marina da Horta e, para Sul, a 10 minutos do antigo Porto Pim.

 

Porto Pim

Forte de São Sebastião

O ancestral Forte de São Sebastião (século XVII) protegia o pequeno porto de piratas e corsários, com 11 canhões que faziam fogo cruzado com outros pequenos fortes.

  • Coordenadas: 38.524783, -28.629720

Se seguir na rua por atrás da parede do mar surge o acesso à Praia do Porto Pim e verá pequenas casas nas partes mais pitorescas da Horta.

Pelo caminho passa pelo restaurante de Genuíno Madruga (Genuíno na rua Nova) especializado em peixe e marisco (experimente o atum).

É um estabelecimento que prima pela frescura dos ingredientes – ótimo lugar para jantar onde, por vezes, é premiado com noites de fado.

  • Coordenadas: 38.526289, -28.627289

Genuíno Madruga recebeu o Grau de Comendador da Ordem do Infante Dom Henrique ao dar a volta do Mundo sozinho (2 vezes) a bordo do pequeno veleiro Hemingway.

A sua 1.ª viagem (2000-2002) à vela foi logo a volta ao mundo, coragem não lhe falta. Antes disso não tinha feito nada à vela, nem estudado numa escola de vela.

A 2.ª vez, a partir do Pico, foi em 2007-2009 regressando por altura das Festas do Espírito Santo.

 

Praia do Porto Pim

A sonolenta praia de areia vulcânica preta, de águas calmas, é vigiada com boas infraestruturas de apoio balnear. Não se esqueça do protetor solar.

  • Coordenadas: 38.524236, -28.625601

Ao continuar a sua caminhada até ao fim da praia descobre a antiga fábrica da baleia no sopé do Monte da Guia.

 

Centro do Mar – Museu Fábrica da Baleia

  • Coordenadas:38.523116, -28.624944

Construído numa antiga fábrica, aberta em 1836  e encerrada na década de 80 do século XX, fica o interessante Museu e Centro Cultural com ocasionais eventos e exposições.

No interior saberá todo processo de aproveitamento dos cetáceos em óleos e farinha, e no Centro Virtual de Interpretação Marinha faz uma “viagem” até três mil metros de profundidade no atlântico.

Os barcos dos Estados Unidos que caçavam baleias normalmente tinham açorianos. A sua perícia e resiliência era conhecida, mas seguramente o seu humor lacónico foi uma surpresa para as tripulações.

 

Casa dos Dabney

  • Coordenadas: 38.523009, -28.626666

Muito perto, 200 metros, fica a Casa dos Dabney da família norte-americana que se instalou na Horta, quando John Dabney foi nomeado Cônsul Geral no início do século XIX.

A casa, restaurada pelo Governo dos Açores, revela como a família impulsionou a ilha. Introduziram árvores, frutos, ofereceram vários livros à biblioteca e exportavam, claro está, derivados de baleia e o vinho verdelho do Pico.

Por cerca de 4 euros tem acesso à Casa dos Dabney e também ao Aquário do Porto Pim – fica a 100 metros da Casa dos Dabney.

  • Coordenadas: 38.522577, -28.628301

No pequeno Aquário do Porto Pim verá 2 tanques com algumas espécies ao redor das ilhas açorianas, inclusive tubarões, e exposições sobre a biodiversidade marítima dos Açores.

 

Forte da Nossa Senhora da Guia

  • Coordenadas: 38.519761, -28.620192

Correndo a estrada que vai até ao Miradouro do Monte da Guia, em apenas 500 metros avista as ruínas do Forte da Nossa Senhora da Guia. Pouco resta deste forte do século XVII, que protegia a baía, agora mero “fóssil” doutros tempos.

 

Miradouro do Monte da Guia

  • Coordenadas: 38.520476, -28.628097

O deslumbrante Miradouro do Monte da Guia fica no topo da subida de 1 km, junto à Ermida (século XVIII) dedicada à Nossa Senhora da Guia – a padroeira dos pescadores. No passado, foi utilizada como posto de vigia de baleias.

É dos mais bonitos miradouros na ilha, com vistas assombrosas da baía e cidade – do outro lado fica a Caldeira do Inferno e a Ilha do Pico.

 

Marina e Porto da Horta

Marina da Horta
  • Coordenadas: 38.531084, -28.625575

Ao voltar para a cidade passa pela recente Marina da Horta, ao pé da Pousada Forte da Horta. Aproveite para dar uma olhadela aos desenhos deixados pelas tripulações. É dito dá azar navegar até à Horta e não deixar a sua marca.

Por parte de alguns houve considerável atenção; outros são rabiscos apressados, mas todos os registos dos que aqui pararam.

A construção do “novo” porto começou em 1876, e rapidamente tornou-se um ponto importante entre os Estados Unidos e Europa.

É que, entre os meses de fevereiro e abril, atravessar a área entre as Caraíbas e os Açores é particularmente desafiante – apanha ventos de todos os lados e grandes tempestades.

De modo que chegar a Horta era uma alegria, especialmente no tempo em que reinavam as embarcações a velas. Depois vieram os navios de carvão, que por vezes chegavam aqui a queimar a mobília. Hoje em dia, a marina da horta é a 2.ª mais visitada da Europa.

Durante a festa de verão Semana do Mar (4 a 11 de agosto) ocorrem várias provas náuticas e o canal é decorado por diversas embarcações coloridas. Os espetáculos musicais começam a partir das sete da tarde.

Semana do Mar

A presença imprescindível em todas as edições da Semana do Mar é o caldo de peixe servido pelo Clube Naval da Horta, disponível aos que o queiram provar.

Ao pé do clube naval, encontra várias empresas de observação de baleias, uma delas é o vibrante Norberto Diver. Para além de observar baleias, pode nadar com golfinhos ou aventurar-se nas profundezas do oceano.

  • Coordenadas: 38.530111, -28.626537

No Porto Moderno chegam e partem embarcações para as restantes ilhas açorianas. Durante o ano, existem viagens para Madalena (Pico), e no verão partem a cada 2 horas a partir de 07:15 – viagem de meia hora e custa menos de 5 euros. Saiba mais em http://www.atlanticoline.pt/.

Embarcação Atlânticonline
  • Coordenadas: 38.537723, -28.622120