Portugal Açores Ilha de São Miguel (Açores)

Ilha de São Miguel (Açores)

O que Beber e Comer em São Miguel (Açores)

A culinária micaelense é extremamente rica, portanto, vamos só abordar a superfície. Se quiser saborear a verdadeira, inalterada, cozinha micaelense, tem que se aventurar pelas Casas de Pasto, Tascas e nos restaurantes perto dos portos.

Cozido das Furnas

Cozido das Furnas

É o prato mais conhecido da Ilha utilizando os produtos os locais, frescos, e depois é cozido debaixo da terra.

O Cozido das Furnas contém chouriço, morcela regional, batata branca e doce, inhame, couve, nabo, cenoura, repolho, carnes de galinha, porco e de vaca.

Fica, entre 6 a 7 horas, no que chamam a cova, onde os sucos deliciosos se misturam e quando está pronto para comer – a carne quase se desfaz na boca. É uma experiência única.

Entradas

Para além do cozido, a culinária micaelense é extremamente rica, tem que experimentar as entradas como o Queijo Fresco Com Pimenta da Terra (pimentos da espécie Capsicum), e a Morcela Assada com Ananás.

São dois ingredientes de aparente contraste, mas que funcionam na perfeição – A Morcela micaelense é mais picante que no restante país.

A Pimenta da Terra é um condimento indispensável, assim como o uso Vinho, de preferência Vinho de Cheiro. Todo o sabor das carnes assadas vivem à base destes dois condimentos – qualquer carne assada com batata em São Miguel é maravilhosa.

Bolo Levedo

Bolo Levedo
Bolo Levedo

O Bolo Levedo, doce, é muito típico nas Furnas, um pão em forma de disco. Não existe só nesta ilha, mas tem a particularidade de se adicionar ovos e açúcar. Costuma ser acompanhado com manteiga ou queijo fresco.

Bife Regional

Bife Regional

O Bife Regional (bife à micaelense) é um Bife frito de carne de vaca tenra da Ilha, com muito alho e pimenta, ovo frito em cima, acompanhado por batatas fritas.

Tipicamente cada restaurante tem o seu próprio bife, de porções mais generosas que o regional, mas não necessariamente melhor.

Peixe

Chicharros Fritos

Como não podia ser numa Ilha, existem diversos pratos de peixes baseados na pesca local, como Chicharros fritos (pequenos carapaus), Abrótea Frita, mas o Polvo à moda de São Miguel é simplesmente divinal.

Polvo Assado à Moda de São Miguel

O polvo é guisado, com vinho de cheiro pimenta da terra e piri, e depois assado com batatas, normalmente acompanhado com pão. É um prato ligeiramente picante.

Crustáceos

Lapas

A variedade de fauna marítima de são Miguel tem nos crustáceos alguns dos seus mais apreciados manjares. Para além das espécies identificadas por qualquer pessoa, as lapas, molusco que aparece nas rochas, é um petisco muito apreciado no arquipélago dos Açores e na Madeira. Em São Miguel, servem-se com um molho com alho, manteiga, pimenta da terra e sumo de limão.

As insólitas cracas que se assemelham a simples pedaços de terras arrancados às rochas durante a maré baixa são uma verdadeira delícia com sabor a mar.

Cracas

Sobremesas

O pudim ou mousse de maracujá, feito com gelatina, natas e leite condensado, é uma sobremesa fresca e deliciosa.

As queijadas de Vila Franca de Campo é a companhia ideal para o café – uma preciosidade micaelense que as freiras do Convento de Santo André desenvolveram. Os principais ingredientes são ovos e a cobertura na superfície do açúcar em pó.

Para além das cervejas conhecidas por todos, a Ilha produz as suas próprias cervejas, a marca mais conhecida é a Especial da Melo Abreu, produtora do popular refrigerante Kima (gaseificada – a original é com sabor a maracujá) e da Laranjada.

O Licor de Maracujá, da cidade Ribeira Grande, é dos licores de Portugal mais premiados a nível internacional.

Licor de Maracujá

O Chá da Gorreana é um chá suave, na plantação mais antiga ainda em funcionamento na Europa, na costa orienta da Ilha (perto de Porto Formoso). Nas gerações mais velhas o chá fazia parte da alimentação, ao final das refeições – a Ilha ainda é o principal mercado do Chá da Gorreana.

Chá da Gorreana

O Vinho de Cheiro é o vinho feito da casta americana Isabelle, que foi trazido por emigrantes açorianos, mas a sua produção é cada vez mais rara. É o vinho que é usado nas Festas do Divino Espírito Santo.

Vinho de Cheiro

Mais Sobre São Miguel: