Área Metropolitana de Lisboa Lisboa Av. da Liberdade, Parque Eduardo VII e arredores

Av. da Liberdade, Parque Eduardo VII e arredores

Avenida da Liberdade

Avenida da Liberdade

Praça do Marquês de Pombal

A Avenida da Liberdade termina num redemoinho de tráfego na rotunda da Praça do Marquês de Pombal (também conhecida como Rotunda) em homenagem ao estadista que reconstrói a cidade após o terramoto de 1755 (estação de metro Marquês de Pombal)

Rotunda Marquês de Pombal

A norte da rotunda encontra o principal parque da cidade – o Parque Eduardo VII de Inglaterra (estação de metro Parque)

Parque Eduardo VII

A abordagem mais fácil é pelo metro  ou por autocarro, embora possa andar pela principal Avenida da Liberdade, cerca de 20 minutos.

Praça dos Restauradores

A extremidade inferior da Avenida da Liberdade, termina na Praça dos Restauradores  com o seu alto obelisco que comemora o fim da breve anexação de Portugal a Espanha no fim do século XVI e inícios do século XVII.

Praça dos Restauradores
  • Coordenadas: 38.715545, -9.141614

Rua das Portas de Santo Antão

Correndo em paralelo, para leste, a rua pedonal da Rua das Portas de Santo Antão é conhecida pelos seus restaurantes e local do Coliseu dos Recreios, popular sala de espectáculos edificada no século XIX.

Rua das Portas de Santo Antão
  • Coordenadas: 38.716790, -9.141056

Durante toda a extensão da avenida da Liberdade tem agradáveis ​​esplanada nas faixas verdes que dividem a avenida, Hotéis e das lojas mais caras em Lisboa.

Fundação Medeiros e Almeida

  • Coordenadas: 38.721693,-9.149139

No passado a Avenida da Liberdade era o endereço exclusivo para algumas das figuras mais respeitadas em Lisboa. Pode conhecer um pouco desta opulência na Fundação Medeiros e Almeida. Na Rua Rosa Araújo – a antiga casa do coleccionador de arte e industrial António Medeiros.

Partes da casa foi mantida como quando morava lá, e outros quartos mostram a valiosa colecção, incluindo porcelana chinesa.

Parque Eduardo VII

  • Coordenadas do Miradouro do Parque Eduardo VII: 38.730355, -9.154606

No topo da avenida fica o Parque Eduardo VII. No lado oeste, extremo norte, encontra a Estufa Fria, na verdade uma quente e outra fresca, repleta de plantas tropicais, e infinitas variedades de palmeiras e cactos.

Estufa Fria de Lisboa
  • Coordenadas: 38.728670, -9.155256

Jardim Amália Rodrigues

Se subir para cima, o miradouro do Parque Eduardo VII oferece belas vistas sobre a cidade. A dezenas de metros para norte do Miradouro pode descansar no jardim Amália Rodrigues  (muito perto encontra o centro comercial El Corte Inglês) – ou apanhar o autocarro 751 que vai para Belém.

Jardim Amália Rodrigues
  • Coordenadas: 38.7309493,-9.1571384

Amoreiras e arredores

A oeste do parque, numa subida íngreme até à Avenida Engenheiro Duarte Pacheco, encontra um dos centro de compras pós-modernista de Lisboa, Amoreiras, desenhado por Tomás Taveira na década de 1980.

O Centro abriga salas de cinema, cafés e restaurantes, supermercado e várias lojas. Para chegar aqui directamente de autocarro apanhe o 711 do Rossio / Restauradores.

  • Coordenadas: 38.723122,-9.161547

Praça das Amoreiras

A rua das Amoreiras desce para a encantadora Praça das Amoreiras, dominada pelo Aqueduto das Águas Livres. Inaugurado em 1748, o aqueduto foi poupado pelo terramoto de 1755, trazendo um suprimento de água potável para a cidade.

Praça das Amoreiras
  • Coordenadas: 38.722276,-9.156039

Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva

No lado nordeste da Praça das Amoreiras, situado numa antiga fábrica de seda do século XVIII, a Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva é uma galeria dedicada à obra dos dois pintores.

  • Coordenadas: 38.722224,-9.155799

A fundação mostra as mais abstractas pinturas suaves de Viera da Silva que contrastam com as mais coloridas de Szenes.

Saldanha

Praça Duque de Saldanha
  • Coordenadas: 38.734198,-9.145458

Uma das mais importantes praças de Lisboa, em homenagem ao Marechal Duque de Saldanha. A Praça é servida pelo metro de Lisboa.

Da rotunda do Marquês de pombal ao Saldanha são quinze minutos a pé em linha recta pela avenida Fonte Pereira de Melo. Mas pode apanhar qualquer autocarro que segue nesta direcção ou o metro na estação de Marquês de Pombal (linha amarela)

Outrora cercada por alguns do edifícios mais antigos e atraentes, mas agora foram demolidos e introduzidos um hotel e 2 pequenos centros comerciais, lado a lado: Atrium Saldanha e Dolce Vita Monumental, geralmente lotados durante a hora do almoço.

Pastelaria Versailles

A poucos passos da praça encontra um dos cafés mais bonitos e históricos da cidade, a Pastelaria Versailles

  • Coordenadas: 38.735464,-9.145595

Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves

  • Coordenadas: 38.732608,-9.146421

Cinco minutos leste do parque, perto do metro Saldanha, encontra a Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves na Rua Pinheiro Chagas. Situado na Casa Malhoa, um edifício neo-romântico com toques de Art Nouveau.

Detém a colecção de arte privada do oftalmologista Dr. Antastácio Gonçalves, o médico de Calouste Gulbenkian. Quando morreu deixou uma colecção com porcelana chinesa da dinastia Ming do século XVI, e móveis da Inglaterra, França, Holanda e Espanha que datam do século XVII.

Praça de Touros (Campo Pequeno)

  • Coordenadas: 38.742437,-9.146009

Construído em 1892, a Praça de Touros do Campo Pequeno é uma impressionante praça de touros em estilo mourisco com assentos para nove mil espectadores (estação de metro Campo Pequeno – linha amarela).

A tourada Portuguesa não é tão comum, nem famosa como a homóloga espanhola, mas como espectáculo é marginalmente preferível, visto que o touro não é morto no ringue.  Debaixo dela encontra um shopping subterrâneo, lojas, restaurantes e salas de cinema.

Fundação Calouste Gulbenkian

  • Coordenadas: 38.737411,-9.154713

A Fundação Calouste Gulbenkian é o grande centro cultural de Portugal, a cinco minutos a pé da Praça de Touro, pela Avenida de Berna.

A fundação apresenta um museu cujas colecções apresentam todas as grandes fases da arte oriental e ocidental – escaravelhos egípcios a jóias Art Nouveau, têxteis islâmicos a quadros impressionistas.

Num prédio separado, frente ao parque, o Centro de Arte Moderna concentra grande parte das obras portuguesas, na maioria do século XX. Todas as principais exposições do museu foram adquiridas por apenas um homem, o magnata do petróleo Calouste Gulbenkian.

Hoje a Fundação Gulbenkian dirige uma orquestra, três salas de concerto e duas galerias. Financia o trabalho em todas as esferas da vida cultural Portuguesa –  e patrocina uma vasta gama de projectos.

Também pode chegar à entrada principal do complexo, na Avenida de Berna, através do autocarro 731 ou 746 a partir de Restauradores, ou pelo metro de São Sebastião.

Museu Gulbenkian

Museu Gulbenkian

Cada conjunto temático no Museu Gulbenkian (www.gulbenkian.pt) contém pedaços de interesse e beleza individual – e pode descansar no café-bar junto aos seus jardins.

Deve visitar todo o conteúdo da pequena sala, a egípcia, que abrange quase todos os períodos de importância do Reino Antigo (2700 Antes de Cristo) até ao período romano. Particularmente notável são os gatos de bronze de 664-525 antes de Cristo.

De seguida surgem belas estátuas romanas, jóias de ouro, com moedas da Grécia antiga. Mesopotâmia produziu as primeiras formas de escrita, e dois selos cilíndricos – que data antes de 2500 Antes de Cristo – estão em exposição.

Artes islâmicas estão magnificamente representadas por textos ornamentados, tapetes opulentos, lâmpadas do século XIV da Síria e azulejos turcos.

Estes são seguidos por cerâmicas da Arménia, porcelana da China, e belas gravuras japonesas. Tem representado as principais escolas europeias; da Flandres do século XV, há um par de painéis de Van der Weyden.

A coleção do século XVII contém a Figura de um ancião de Rembrandt – além de obras de Van Dyck e Ruisdael. Obras do século XVIII incluem Corot, Manet, Monet, Degas e Renoir.

Centro de Arte Moderna

  • Coordenadas: 38.735654, -9.154068

O centro de arte moderna abraça a maioria dos grandes nomes na cena recurso Português do século XX, incluindo painéis em preto e branco por Almada Negreiros (1873 – 1970).

Fundador do modernismo (seu auto-retrato encontra-se no café A Brasileira); cores futuristas brilhantes de Amadeu de Sousa Cardoso e Paula Rego. A poucos minutos do centro de arte moderna poderá tomar uma refeição no restaurante do centro comercial El Corte Inglês ou fazer algumas compras (Metro São Sebastião).

  • Coordenadas: 38.733841,-9.153821

O que visitar perto: