Início Algarve A Leste de Faro Alcoutim (Algarve)

Alcoutim (Algarve)

 

A 40 km da Vila Real de Santo António – por um lindo traçado rodoviário que abraça o sedutor rio Guadiana, descobre a preciosa vila de Alcoutim com longa história como porto fluvial.

 

Hoje em dia, é cada vez mais um destino turístico de quem abandona a agitação urbana e deseja perder-se num dos recantos de Portugal.

É reconhecida pelo artesanato, especialmente bordados, tapetes de lã ao estilo de Arraiolos e cerâmica.

No passado era rica em minérios, sobretudo cobre e enxofre, e como é percorrida pelo maior rio do sul foi intensamente explorada: com vários vestígios arqueológicos, nomeadamente romanos e islâmicos Omíada, Almorávida e Almoáda.

O nome Alcoutim vem do árabe القطامي ( Al-Qutami), que significa falcão-peregrino – o maior em Portugal e o mais veloz no mundo.

Falcão Peregrino

Castelo “Velho” de Alcoutim

A 2 km para norte da vila, pela rua Dom Fernando, descobre o Castelo Velho, atualmente um mero “fóssil”.

No decurso da conquista islâmica da Península Ibérica (século VIII), forças islâmicas subjugaram esta área e estrategicamente construíram o seu castelo – o acesso não é fácil.

Castelo Velho de Alcoutim
  • Coordenadas: 37.480699, -7.471969

No seu auge era um elegante palácio fortificado (dinastia Omíada, originários de Meca, Arábia Saudita) com funções de residência e de controlo do Guadiana.

Foram encontrados fragmentos de tambores cerâmicos e tabuleiros de jogos que nos revelam as atividades de lazer dos residentes.

Com as lutas internas no mundo islâmico, a fortificação foi abandonada antes da chegada dos mouros almóadas, mais fundamentalistas do Norte de África – séculos XII-XIII.

 

Castelo de Alcoutim

  • Coordenadas: 37.4791395,-7.4731081

No topo da vila impera o “novo” Castelo de Alcoutim, que passa para domínio cristão em 1238, altura em são conquistadas Mértola, Alfajar da Pena e Ayamonte (atual Espanha) – e passam a ser terras da temerosa Ordem Militar de Santiago.

Os Cavaleiros de Santiago, chamados de Santiaguistas ou Espatários

O Rei Dom Dinis, no século XIV, reconstrói o Castelo de Alcoutim. Agora em ruínas, ainda assim oferece belas vistas sobre a vila, o rio Guadiana e da vila espanhola Sanlúcar de Guadiana.

Sanlúcar de Guadiana, Rio Guadiana e Alcoutim

A entrada ao castelo inclui acesso ao pequeno núcleo arqueológico que traça a história do resistente castelo, durante a Guerra da Restauração e nas Guerras Liberais. Devido à sua posição, Alcoutim foi alvo de conflitos constantes com o reino vizinho de Castela.

Após o assassinato do Dom Pedro I de Leão e Castela, em meados do século XIV, o Rei Dom Fernando de Portugal (o Formoso) reclama o trono de Castela, pois na sua visão é o último legítimo bisneto do Dom Sancho IV de Leão e Castela.

Henrique II de Leão Castela também era bisneto, mas era bastardo. Em 1371, foi aqui assinado o Tratado de Alcoutim, que termina a primeira guerra entre Portugal e Castela.

No século XVII foram feitas extensões para a artilharia até que, em 1878, terminou o seu uso militar.