Algarve A Leste de Faro Vila Real de Santo António

Vila Real de Santo António

A cidade fronteiriça de Vila Real de Santo António (http://www.cm-vrsa.pt) é, em termos arquitetónicos, das mais interessantes no Algarve. Criada pelo Marquês de Pombal (1774), que usou os mesmos planos que havia usado na Baixa de Lisboa.

Notavelmente, todo o projeto levou cinco meses. A rede central, construída por Marquês de Pombal irradia a partir da praça que leva o seu nome, rodeada por laranjeiras e edifícios brancos, alguns dos quais agradáveis cafés ao ar livre. As pedras negras do chão vieram da Madeira (e as brancas de Espanha).

Praça Marquês de Pombal
  • Coordenadas: 37.194356, -7.415435

No centro da praça está um obelisco a homenagear o Rei e o Marquês de Pombal, erguido por ordem do próprio Marquês de Pombal, dois anos antes do Marquês de Pombal cair em desgraça após a morte do rei Dom José I.

Marquês de Pombal

Na planta original de Vila Real Santo António tudo é retilíneo, perpendicular, com casas uniformes de rés-do-chão, primeiro andar e mansardas (janelas dispostas sobre o telhado), que ainda se pode ver nas áreas centrais da cidade.

A população local não mostrou grande entusiasmo pela moderna vila de modo que o Marquês tentou forçar a realocação dos pescadores – não foi bem sucedido. Os residentes para a Vila Real de Santo António vieram de Aveiro, do norte de Portugal e doutros locais do Algarve.

Já os pescadores de Monte Gordo mudam-se para a Espanha, precisamente para a Isla Cristina (meia hora para Este pela A22 – N431). No passado era praticamente deserta, hoje em dia é uma vigorosa povoação.

 

Centro Cultural António Aleixo

No lado norte da praça fica a Rua Teófilo Braga, a rua pedonal que o conduz para o interior da frente ribeirinha da Avenida da República. O antigo edifício do mercado renasceu como o Centro Cultural António Aleixo, um espaço que homenageia o poeta que nasceu em Vila Real de Santo António.

Também é utilizado para exposições temporárias, e, ocasionalmente, até filmes.

  • Coordenadas: 37.194559,-7.416558

As ruas circundantes têm um certo charme discreto, e os jardins ribeirinhos oferecem belas vistas com um toque de branco que corresponde à povoação de Ayamonte (Espanha).

Se deseja pernoitar aqui, o Grand House Algarve (antigo Hotel Guadiana), na Avenida da República, com vista para os jardins e rio, é um Monumento Nacional com uma bela fachada Arte Deco, desenhado pelo arquiteto Ernesto Korrodi, suíço naturalizado, com vasta obra em Leiria.

  • Coordenadas: 37.195503,-7.414824

É um hotel requintado, com vários pormenores de bom gosto e elegância. Os quartos são amplos e confortáveis. Tem acesso à piscina do Grand Beach Club, donde encontra também um bom restaurante.

Os autocarros partem diariamente de Vila Real de Santo António para Ayamonte, em Espanha (15 minutos), com conexões para Huelva (1 hora) e Sevilha (4 horas), os horários estão afixados no terminal rodoviário (Avenida da República 83), a cerca de 200 metros do hotel.

Ao longo da avenida existem meia-dúzia de cafés e restaurantes, na linha da frente ribeirinha, todos com esplanada. A cerca de 150 metros do hotel encontra o Sem Espinhas Guadiana, comida de qualidade, e com boa apresentação, a preços acessíveis.

  • Coordenadas: 37.193708, -7.414137

Para um peixe mais barato, e carnes grelhadas, experimente a Churrasqueira Arenilha (Rua Almirante Cândido dos Reis).

  • Coordenadas: 37.194375, -7.416684