Início Algarve A Leste de Faro Tavira (Algarve)

Tavira (Algarve)

Tavira é uma das mais belas cidades do Algarve e uma aposta vencedora se procura uma base tranquila com uma bela praia, na Ilha de Tavira

 

 

Tavira é das mais belas cidades do Algarve e uma aposta vencedora para quem busca uma base tranquila, de ambiente familiar, com uma praia magnífica. No século V antes de Cristo, era uma importante porta de comércio com o Norte de África.

 

Praça da República e Ponte antiga sobre o Rio Gilão

  • Coordenadas: 37.126242, -7.650253

A medular Praça da República é um local agradável, miscelânea de cafés e restaurantes com vista para a antiga ponte que atravessa o rio Gilão. Sempre se considerou a ponte romana, no entanto, os arqueólogos dizem que será do período islâmico (medieval).

Durante a crise de 1383-1385 será palco do conflito entre os locais que apoiam a causa do Mestre de Avis contra os apoiantes do reino de Castela (Espanha).

Um dos líderes dos locais, Vasco Anes da Costa, será o fundador da casa Corte Real cujo descendente, João Vaz Corte-Real, descobre a Terra Nova (Canadá) e foi o 1.º capitão do donatário e, Angra de Heroísmo – porto de escala, crucial, durante os Descobrimentos.

 

Núcleo Museológico Islâmico

  • Coordenadas: 37.125838, -7.650213

Na praça, de frente para a Câmara municipal, fica o Posto de Turismo. No piso superior encontra o curioso Núcleo Museológico Islâmico que nos conta a história moura de Tavira.

Os Mouros desembarcaram na península no século XVIII e governaram a região, por 500 anos, até à reconquista cristã no século XIII. A peça mais importante é o Vaso de Tavira – não existe nada igual no mundo, descoberta no local duma antiga lixeira do século XI.

 

Igreja da Misericórdia

  • Coordenadas: 37.125762, -7.650644

Por perto descobre a elegante Igreja da Misericórdia, de estilo renascentista.

Com uma entrada de pedra (século XVI) muito interessante – uma série de anjos e santos é encimada pela Nossa Senhora da Misericórdia, protetora dos cristãos presos no Norte de África. Foi uma devoção que, obviamente, se espalhou rapidamente em Portugal.

No interior há um impressionante mosaico de azulejos, do século XVIII, representando as 14 obras de misericórdia; por exemplo, dar de comer a que tem fome. Infelizmente a igreja está quase sempre trancada.