Home Lisboa Baixa de Lisboa

Baixa de Lisboa

É na visão neoclássica do Marquês de Pombal que vemos na Baixa de Lisboa o 1.º grande exemplo de planeamento urbano do mundo moderno. Ocorre após o trágico terramoto de 1755 – atingiu 8,7  a 9 na escala de Richter.

A multidão foge para o porto, procura segurança em campo aberto quando 3 ondas gigantes atingem a frente ribeirinha. Como não fosse suficiente, Lisboa sofre um incêndio por 5 dias! Um em cada 3 edifícios fica total ou parcialmente destruído.

O ministro do rei, Marquês de Pombal, rejeita todos pensamentos de vitimização, castigo ou injustiça. Pragmaticamente foca-se em enterrar os mortos, alimentar os vivos e fechar os portos.

Marquês de Pombal
Marquês de Pombal

A baixa é reerguida com os ideais de Pombal: simetria, simplicidade e economia racional. Todos os quarteirões têm poços de águas para ajudar em futuros incêndios.

Uma elite de arquitetos engenheiros otimiza as técnicas de construção, aprimora a gaiola e a estacaria pombalina (na baixa as fundações dos edifícios ainda estão sob estacas em pinho verde).

Às ruas foram atribuídas funções como artesanato, comércio (vital no tempo do império ultramarino), moldadas por grandes edifícios públicos e praças espaçosas. É uma reforma com um desejo político claro: maior aproximação da burguesia ao poder central.

Praça do Comércio, Lisboa

  • Coordenadas: 38.70752,-9.136422

No fim da Baixa, tem a Praça do Comércio  – o clímax do projeto. Rodeado por edifícios neoclássicos, surge a estátua de bronze de Dom José – o monarca reinante durante o terramoto e a reconstrução.

Ironicamente, a realeza termina nesta praça. Em 1908, o Dom Carlos I foi baleado. Abre o caminho para a declaração da República – 2 anos mais tarde.

Hoje em dia, é dos principais locais para as festividades do Ano Novo. No lado ocidental tem a Lisboa Welcome Center que atua como o escritório de turismo: com café, lojas, e salão de exposição.

 

Rua Augusta, Baixa de Lisboa

  • Coordenadas: 38.708445,-9.136824

A norte da praça descortina a pedonal Rua Augusta e o enorme Arco da Rua Augusta onde estão representadas figuras como Viriato, Vasco da Gama, Nuno Álvares Pereira e o próprio Marquês de Pombal – modéstia não fazia parte dos seus talentos… Suba ao Miradouro no topo do Arco por menos de €3.

Aquando de obras no Banco Comercial Português (Rua dos Correeiros 9), foi descoberto tanques romanos de conserva de peixes, sepulturas cristãs e cerâmica muçulmana que vê no pequeno Núcleo Arqueológico (gratuito).

  • Coordenadas: 38.709982,-9.137413

Por perto, na extremidade ocidental da Rua de Santa Justa, o Elevador de Santa Justa (1902) reclama a nossa atenção – das estruturas mais excêntricas da cidade.

  • Coordenadas: 38.712102,-9.139437

Construído por um discípulo de Eiffel (Raul Mesnier). Pelas entranhas da torre de metal o elevador guia-nos ao último andar com soberbas vistas sobre a cidade. Tem um saída na parte superior para o Bairro Alto, ou então desce de volta à Baixa.


Rossio

Rossio
  • Coordenadas: 38.713876,-9.139362

O Rossio (oficialmente Praça Dom Pedro IV) no extremo norte,  é a praça mais antiga de Lisboa. Continua a ser um prazer de se passear, e os populares cafés são um bom local para recuperar o fôlego.

1
2