Algarve A Oeste de Faro Lagos (Algarve)

Lagos (Algarve)

Lagos é das cidades mais atraentes do Algarve, onde o centro histórico é, em grande parte, do século XV (na foz da Ribeira de Bensafrim). Foi uma das residências favoritas do Infante Dom Henrique, que a usou como base naval para a sua aventura africana.

Praça Infante Dom Henrique
  • Coordenadas: 37.100620, -8.670890

Daqui muitos aventureiros e exploradores partiram para Novos Mundos – incluindo Gil Eanes, nascido em Lagos – a sua estátua (século XIX) está junto às duas torres do Castelo Medieval do século XII  – Jardim da Constituição, num dos lados da Praça Infante Dom Henrique.

Foi armado Cavaleiro da Ordem de Cristo (a sucessão dos Templários em Portugal) pelo Governador da Ordem – Infante Dom Henrique. O Infante enviou 15 expedições ao Cabo do Medo (atual Cabo do Bojador) de terríveis correntes, tempestades – com recifes aguçados em mar pouco profundo…

Pouco antes de se aproximar, ouvia-se o som das ondas colidirem na costa (atual Mauritânia) – como que tambores anunciando o fracasso das expedições. Começava a ser um problema psicológico para os tripulantes portugueses.

  • Coordenadas: 37.100122, -8.670399

A 16.º foi confiada a Gil Eanes. Como no passado, utilizava a barca (de só um mastro), que não era a melhor embarcação para correntes e baixios.

Quando chega ao Cabo, Gil Eanes decide arriscar e lança-se em direção ao  centro do desconhecido atlântico, longe da costa africana – o equivalente de se atirar duma alta falésia sem saber se há rochas ou mar.

Quando decide virar de volta à costa, após um período de incerteza e ansiedade, percebe que ultrapassou o Cabo. Estava claro que não havia Mar Tenebroso (de ar envenenado e gigantescas serpentes) e o Fim do Mundo – o que se acreditava na Europa medieval.

Mesmo que falhasse, quem tem a mentalidade de mandar mais duma dúzia de expedições para o Cabo chamado de Medo, seguramente mandaria mais… Concluída a inovação da Caravela Latina, as explorações para sul ganham um forte impulso.

Em 1577 Lagos torna-se a capital administrativa do Algarve, mas grande parte foi destruída no terramoto de 1755. De modo que Faro torna-se a capital no século XVIII e Lagos entra em declínio até ao turismo a reviver na década de 60 do século XX.