Algarve A Oeste de Faro Silves e arredores

Silves e arredores

Numa abordagem dramática o anel avermelhado das muralhas se revela gradualmente com o emergir das colinas arborizadas. Uma série de cafés, bares e fontes estão agrupados em torno de um grande pátio central, Portas da Cidade de Silves, preenchido com mesas ao ar livre.

Portas da Cidade de Silves

É um espaço encantador, mais animado quando ocorre no verão a Feira Medieval, geralmente em Agosto. Dezoito quilómetros a nordeste de Portimão, Silves (As-Shilb) – foi a capital islâmica de Gharb Al-Andalus (ou Al-Gharb) durante 500 anos – e seguramente merece um desvio.

  • Coordenadas: 37.190477,-8.437939

O Castelo sarraceno de Silves (século VIII), sobre a foz do Rio Arade é o maior Castelo no Algarve, e dos mais antigos em Portugal.

Entrada no Castelo de Silves com a Estátuda do Sancho I

Sob o domínio muçulmano, Silves foi um lugar de enorme grandeza, centro comercial e artístico – e como tal palco de conflitos entre príncipes e Reis islâmicos.

Certos habitantes de Silves eram árabes de Yemen, o que na altura era das culturas mais civilizadas, com muitos poetas. Daqui passaram e surgiram importantes líderes.

Por exemplo, o Maomé ibne Abade Almutâmide, que nasceu no fins do século XI em Beja ganhou experiência militar em Silves  – comandava um exército com apenas 13 anos.

Mais tarde, conquista Valência e Córdoba. Afonso VI de Castela testa o seu poder e é derrotado na batalha de Sagrajas (ou Zalacas). O poeta Abu Bakr ibn al-Labbana diz que ele possuía 200 cidades e fortificações na Andaluzia (Al-Andalus).

Juan Gimenez Martin – In the Harem